A reforma sanitária brasileira: a vitória sobre o modelo neoliberal

Autores/as

  • Amélia Cohn

Resumen

O artigo traça um panorama da experiência da reforma do sistema de saúde do Brasil, a partir de meados dos anos 70, apontando seus constrangimentos de natureza estrutural e política, as estratégias políticas e sociais utilizadas, e as propostas da reorganização do sistema de saúde que hoje se concretizam no SUS – Sistema Único de Saúde, um dos maiores sistemas públicos de saúde de mundo. O eixo da exposição e da análise é dado pela constatação de que a Reforma Sanitária brasileira é um exemplo, na América Latina, de que um projeto alternativo para a saúde, democrático, universal, baseado nos preceitos da seguridade social, é viável, e uma vez deflagrado, difícil de ser obstruído pelas forças conservadoras de corte neoliberal.

Biografía del autor/a

Amélia Cohn

Instituciones: Universidade Federal do Rio de Janeiro, professora visitante Universidade Católica de Santos, docente do Programa de Mestrado em Saúde Coletiva Correspondence: Rua dos Franceses, 498 ap. 211F Bela Vista São Paulo – SP - Brazil CEP 01329-900 Phone/Fax: 0055-11-3284-57-15

Descargas

Número

Sección

Sección Especial: Reformas progresistas en Salud en América Latin