Reader Comments

A impotência sexual

by KL P (2017-12-14)


A impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil ou impotência erigendi, é a incapacidade do homem de iniciar e/ou manter uma erecção do pénis durante o tempo suficiente para ter relações sexuais. Neste texto vamos abordar as causas, os sintomas e os tratamentos para a impotência sexual.

Impotência sexual – Introdução

Os homens estão 4 grandes grupos de problemas sexuais:

– Disfunção erétil.
– Ejaculação precoce.
– Falta de libido.
– Dificuldade para ejacular.

A saúde sexual é atualmente um importante fator para a qualidade de vida das pessoas. A impotência sexual, apesar de não ser um problema de saúde que, em transporte, riscos de vida, pode trazer conseqüências indesejáveis na vida pessoal do paciente, influenciando em suas relações e na sua auto-estima, podendo, inclusive, levar o paciente à depressão.

É importante destacar que ter eventual dificuldade na ereção não é considerada impotência. Para considerar uma disfunção erétil, o homem precisa de ser incapaz de ter ou manter ereções em, pelo menos, 75% das tentativas. Não conseguir ter ereção satisfatória uma vez ou outra é completamente normal e acontece com todos os homens, mesmo com os mais jovens.

É importante diferenciar a impotência, falta de libido. A disfunção erétil, o homem sente desejo sexual, mas é incapaz de manter ou iniciar uma ereção satisfatória. A falta de libido, a ereção não se dá em razão da ausência de interesse sexual.

A prevalência da impotência sexual aumenta com a idade e com a presença de outras doenças, como diabetes, hipertensão, doenças cardíacas, obesidades, etc., estima-Se que entre 30% e 40% dos homens acima dos 40 anos apresentam algum grau de disfunção erétil.

COMO SE DÁ A EREÇÃO DO PÊNIS?
A função sexual masculina é controlada pela interação dos sistemas neurológico, vascular e psicológico. Qualquer distúrbio em um desses sistemas pode causar problemas de ereção. Saber como funciona a ereção é importante para a compreensão da impotência sexual e como funcionam os atuais tratamentos, como o famoso Viagra.

A groso modo, podemos resumir a ereção, como um evento vascular gerado por sinais neurológicas e facilitado Power Blue por um adequado meio hormonal e psicológico. Vamos explicar melhor.

A ereção peniana ocorre quando o corpo cavernoso, duas estruturas esponjosas em forma de cilindros paralelos dentro do pênis, fica cheio de sangue. O pênis se encha de tal modo que comprime suas veias, impedindo que o sangue retorne para o resto do organismo. O corpo cavernoso do pênis está, portanto, cheio de sangue, mantendo a ereção até o final do estímulo sexual. Quando há um orgasmo ou quando o estímulo para a ereção acaba, o corpo cavernoso é vazia, o pênis volta a ficar flácido.

Para que o corpo cavernoso se encher de sangue, é necessário um sinal do sistema nervoso central, liberando uma substância chamada óxido nítrico. Este neurotransmissor é o que relaxa os vasos sanguíneos do corpo cavernoso do pênis, facilitando a entrada de sangue no mesmo. Enquanto houver óxido nítrico no corpo cavernoso do pênis, o pênis pode mantê-lo cheio de sangue e, portanto, ereto; quando os níveis de óxido nítrico caem, a ereção termina.

Os fatores psicológicos e hormonais, como alterações nos níveis de testosterona e os hormônios da tireóide, por exemplo, podem interferir neste sistema neurológico-vascular da ereção.

A ereção noturna do pénis é um fenômeno normal que ocorre durante o sono profundo e não está relacionada com a existência de sonhos eróticos. Este tipo de ereção se inicia na adolescência e persiste durante boa parte da vida. A presença de ereções noturnas normais em homens com disfunção erétil indicam que essa disfunção pode ter uma causa psicológica. Em contrapartida, os homens que não têm ereções nem mesmo durante o sono normalmente têm algum problema orgânico. Homens com dificuldades para alcançar níveis de sono também podem apresentar este tipo de ereção.

FATORES DE RISCO E CAUSAS DA IMPOTÊNCIA SEXUAL
Apesar de que a idade é popularmente conhecido como o principal fator de risco de disfunção erétil, em realidade, não é o envelhecimento é o principal culpado das doenças que surgem com ele. Uma pessoa maior e totalmente saudável, sem medicamentos é plenamente capaz de obter ereções satisfatórias na maioria dos casos. Um homem saudável de 65 anos podem ter mais "poder" que um homem de 40 anos com história de diabetes e doenças cardiovasculares.

Entre as doenças e problemas relacionados à disfunção erétil são:

Diabetes mellitas (leia: SINTOMAS DO DIABETES).
Hipertensão arterial.
Obesidade.
Doença cardiovascular.
Dislipidemia.
Tabagismo.
Alcoolismo.
AVC (leia: 7 SINTOMAS DO AVC – ACIDENTE VASCULAR cerebral).
Insuficiência renal crônica.
Doenças da tireóide (leia: SINTOMAS DE PROBLEMAS DE TIRÓIDE).
Qualquer doença crônica pode aumentar os riscos de impotência sexual e, para piorar o quadro, muitos dos medicamentos usados no tratamento dessas doenças também contribuem para a disfunção erétil. Estima-Se que até ¼ dos casos de impotência são causados por estas drogas. Antidepressivos e medicamentos para hipertensão (todos os tipos) são os principais "vilões".